A Cura Pelo Óleo de Girasol

 

Em encontro da associação de Oncologistas e Bacteriologistas da Ucrânia, o Dr. F. Karach apresentou uma terapia extremamente simples, utilizando o ÓLEO DE GIRASOL, que consiste em fazer bochechos com o óleo, provocando um processo de cura dentro do organismo.

Desta forma, é possível curar simultaneamente células, tecidos e órgãos do corpo, evitando a destruição da microflora. O método atua sobre todo o organismo prevenindo e curando.

Segundo o Dr. Karach, é possível curar dores de cabeça, bronquite, dor de dente, trombose, artrose, eczemas, úlcera do estômago, problemas intestinais, cardíacos, renais, encefalite e variadas doenças da mulher. É possível ainda prevenir diversas moléstias crônicas dos sistemas circulatório, nervoso, digestivo e respiratório.

M É T O D O

Usar o óleo de girassol, obtido por compressão a frio (não usar o óleo comum de cozinha), em bochechos, de no máximo uma colher de sopa, e no mínimo uma colher de chá, durante 15 a 20 minutos. O óleo é revolvido tranquilamente na boca, sugado através dos dentes e absorvido pelas gengivas. NÃO DEVE SER ENGOLIDO NUNCA.

De início o óleo é grosso, depois vai ficando cada vez mais fluido; deve-se cuspir quando o líquido estiver branco como leite. Se ainda estiver amarelo, significa que não se bochechou tempo suficiente. Depois é preciso bochechar diversas vezes com água e limpar bem os dentes com a escova, porque o líquido produzido é venenoso; nele encontra-se grande quantidade de germes patogênicos e outras substancias nocivas. Foi colocada uma gota sob o microscópio, sendo observado uma espécie de filamentos móveis que são micróbios em primeira fase de evolução.

É importante enfatizar que, enquanto se revolve o óleo na boca, o metabolismo se intensifica no organismo e o estado de saúde fica mais estável. Como efeitos mais visíveis, é possível observar que os dentes ficam mais brancos, os que estavam moles ficam mais firmes, e os sangramentos de gengiva desaparecem. É melhor bochechar antes do desjejum e repetir antes das outras refeições, se o desejo é acelerar o processo de cura. É preciso continuar este tratamento até o organismo recuperar a sua força, sua vitalidade e um sono tranquilo.

Na hora de acordar, não deverá haver cansaço ou olheiras. É preciso recuperar o sono profundo e a memória. Às vezes, é possível que ocorra uma aparente piora, naquele doente que sofre de várias moléstias. Esta sensação de agravamento ocorre

principalmente quando uma infecção começa a desfazer algum foco, que no futuro provocaria uma doença grave; por isso não há motivo para interromper o processo de cura, mesmo aparecendo febre, porque é sinal de que o organismo está reagindo e se recuperando.

Cada um precisa sentir quanto tempo deve durar o tratamento, porém problemas crônicos precisam ás vezes de um ano inteiro, e problemas agudos costumam sarar em dois a quatro dias.

Segundo o Dr. Karach, o método tem dado resultados excelentes, muitas vezes dispensando intervenções com graves efeitos colaterais. Ele apresenta vários depoimentos de seus clientes que se curaram com esse método, de doenças complicadas, algumas consideradas incuráveis.

– Textos escritos por membros da sociedade de pesquisas de medicina natural (Natur und Medicin – Bonn – Alemanha).

Lembrete, fitoterapia é (ainda) de uso e aplicação livre.
 
O uso incorreto ou inadequado, é de responsabilidade de cada um. 

 

Muita paz,

        Wander Coimbra

Por favor, se você gostou do post, não deixe de contribuir com seu comentário, assim, me sentirei mais motivada a escrever, sabendo também o que você pensa. Contribua com sua opinião.

Texto cedido pela irmã Maria Benedita, em Itajubá – MG.
 
 
 
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: