ENTENDA SOBRE YIN – YANG A HARMONIA DA VIDA

Os antigos chineses, foram uns dos principais estudiosos dos fenômenos e das leis naturais, e através destes estudos e observações, eles perceberam que a principal característica do universo é o movimento e a mudança. Do átomo a galáxia. A vida e a natureza são constituídas de ciclos, que mudam e se alternam continuamente.

Por exemplo, uma montanha tem um lado iluminado pelo sol durante uma parte do dia, e seu outro lado em sombras. Com o passar do dia, o lado iluminado vai escurecendo e o lado escuro vai se iluminando. A manhã se torna tarde, o dia se torna noite, o inverno se torna verão, lua cheia em lua nova, maré alta em maré baixa, etc… Eles classificaram estes ritmos, este fluxo constante, como dois princípios básicos, que se encontram na essência de tudo, na natureza, nos seres humanos, nos animais, nas plantas, no todo enfim.

Estas duas forças com suas qualidades de energia são chamados de yin e yang, e são expressões do qi ou energia universal do qual tudo e formado. Toda manifestação é cíclica. Tudo que o que existe contém em si o yin e o yang, que são polaridades opostas que se complementam e se equilibram. Uma não existe sem a outra, sendo o yin o polo negativo e o yang o polo positivo.

Estes conceitos se aplicam em todas as coisas ou fenômenos que se apresentam em nossa vida, como por exemplo: quente – frio, claro – escuro, alto – baixo, esquerda – direita, masculino – feminino, externo – interno, sol – lua, duro – mole, ativo – passivo, dia – noite, consciente – inconsciente, vazio – cheio, energia – matéria, etc…

No reino humano, fisicamente o homem é de natureza yang, e a mulher de natureza yin. Com o passar dos anos, assim como os ciclos mutáveis da natureza, esta predominância vai mudando para o seu oposto, e o homem vai ficando “friorento” ou yin, e a mulher vai ficando “calorenta” ou yang.

O equilíbrio entre estas duas polaridades, sendo ambas de igual importância, é o que nos permite viver em harmonia. Quando uma destas forças predomina e se sobressai sobre a outra, em excesso, o equilíbrio é rompido e o lado destrutivo se manifesta.

Vamos a um exemplo fácil, que podemos verificar em nossa vida pessoal, para entendermos melhor.

Marque ao lado, a característica que mais se identificar em você:

( ) Sensação de calor. ( ) Sensação de frio.

( ) Dorme pouco. ( ) Dorme muito.

( ) Muito apetite. ( ) Pouco apetite.

( ) Atração por salgados. ( ) Atração por doces.

( ) Libido forte. ( ) Libido fraca.

( ) Voz alta. ( ) Voz baixa.

( ) Músculos fortes. ( ) Músculos fracos.

( ) Tipo agitado, ativo. ( ) Tipo calmo, passivo.

( ) Gosta de competição física. ( ) Gosta de meditar.

( ) Mais extrovertido, expansivo. ( ) Mais introvertido, reservado.

( ) Tendência a irritação. ( ) Tendência a compreensão.

A primeira coluna representa a natureza yang, e a segunda a natureza yin. A soma das colunas marcadas nos mostra qual a característica nossa atual predominante.

Nada é absolutamente positivo – yang, nem absolutamente negativo – yin em nós, um não existe sem o outro. Ninguem tem uma proporção perfeita de 50% de um, e 50% do outro, podemos somente manter um equilíbrio dinâmico e variável.

Se somos de predominância yang ou yin, precisamos desenvolver e trabalhar a polaridade oposta e complementar, que nos dará harmonização e equilíbrio pessoal. Não é possível inverte-la ou muda-la totalmente em nós, podemos aumentar e melhorar seu desempenho. Ambas são indispensáveis.

Temos para isto vários meios disponíveis como alimentação, terapias, atividades físicas, exercícios, remédios fitoterápicos, massoterapia, florais, e outros mais.

As terapias orientais e outras, nos fornece vários meios de trabalhar e equilibrar as energias yin e yang em nós. Na dietética chinesa, todos os alimentos são classificados como sendo de natureza yin ou yang, ou neutros, ou seja de natureza quentes, frios e mornos.

Com as plantas medicinais da mesma forma, por exemplo, a hortelã é planta fria – yin, já o gengibre é quente – yang. No reino vegetal em geral, as folhas são de natureza yang, e as raízes yin e o tronco neutro.

No campo terapêutico, temos em nossa pele pontos específicos que estimulam o yin ou o yang do nosso organismo, recuperando assim a nossa saúde. Estes estímulos podem ser   feitos de várias formas, como com agulhas especiais (acupuntura), aplicação de calor (moxa), cores, sucção (ventosa), pressão manual (shiatsu), e outros meios que vão sendo desenvolvidos com o tempo.

A natureza ensina e é o melhor dos mestres. Harmonizando nosso yin e nosso yang, teremos um maior equilíbrio central, e um bom relacionamento pessoal com a nossa energia interna, uma vida mais saudável, com melhor qualidade. A arte da vida se encontra no “caminho do meio”.

Muita paz.

Wander Coimbra

Anúncios

Gratidão por sua visita!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: