Todo relacionamento bem sucedido é bem sucedido pelos mesmos motivos

Adivinhem? Eu me casei há duas semanas. E como a maioria das pessoas, eu perguntei a algumas pessoas mais velhas e mais sábias ao meu redor por conselhos rápidos de relacionamento de seus próprios casamentos, para ter certeza de que minha esposa e eu não cagamos na (mesma) cama. Eu acho que a maioria dos recém-casados ​​faz isso – pedir conselhos de relacionamento, quero dizer, não fazer merda na mesma cama – especialmente depois de alguns coquetéis no bar aberto que eles pagaram muito dinheiro.

Mas, claro, não estando satisfeita com apenas algumas palavras sábias, tive que dar um passo adiante.

Veja, eu tenho acesso a centenas de milhares de pessoas inteligentes e incríveis através do meu site. Então, por que não consultá-los? Por que não pedir a eles o melhor relacionamento / conselho de casamento? Por que não sintetizar toda a sua sabedoria e experiência em algo direto e imediatamente aplicável a qualquer relacionamento.

Então, foi o que eu fiz. Mandei o telefonema na semana anterior ao meu casamento: alguém que tenha sido casado por mais de 10 anos e ainda esteja feliz em seu relacionamento, que lições você daria aos outros se pudesse? O que está funcionando para você e seu parceiro? E se você é divorciado, o que não funcionou anteriormente?

A resposta foi esmagadora. Quase 1.500 pessoas responderam.  Demorou quase duas semanas para vasculhar todos eles, mas eu fiz. E o que eu encontrei me surpreendeu …

Eles eram incrivelmente repetitivos.

Isso não é um insulto nem nada. Na verdade, é o oposto. Para não mencionar, um alívio. Todos eram pessoas inteligentes e bem faladas de todas as esferas da vida, de todas as partes do mundo, todas com suas próprias histórias, tragédias, erros e triunfos …

E, no entanto, todos diziam praticamente a mesma dúzia de coisas.

O que significa que aquelas dúzias de coisas devem ser muito importantes … e mais importante, elas funcionam.

Veja o que eles são.

  1. Estejam Juntos pelas Razões Corretas

“Nunca mais fique com alguém porque alguém o pressionou. Eu me casei pela primeira vez porque fui criado como católico e é isso que você deveria fazer. Errado. Eu me casei pela segunda vez porque eu estava infeliz e sozinha e pensei que ter uma esposa amorosa consertaria tudo para mim. Também errado. Levei três tentativas para descobrir o que deveria ter sido óbvio desde o começo, a única razão pela qual você deveria estar com a pessoa com quem você está é porque você simplesmente ama estar ao seu redor. É realmente muito simples.”

– Greg

Antes de entrarmos no que você deve fazer em seu relacionamento, vamos começar com o que não fazer.

Quando enviei meu pedido para os leitores pedindo conselhos, acrescentei uma advertência que acabou sendo esclarecedora. Perguntei a pessoas que estavam no segundo ou terceiro (ou quarto) casamentos o que fizeram de errado. Onde eles bagunçaram?

De longe, a resposta mais comum foi “estar com a pessoa pelas razões erradas”.

Algumas dessas razões erradas incluem:

  • Pressão de amigos e familiares.
  • Sentindo-se como um “perdedor” porque eles eram solteiros e se contentavam com a primeira pessoa que veio junto
  • Estar juntos por imagem – porque o relacionamento parecia bom no papel (ou em fotos), não porque as  as duas pessoas se admiravam.
  • Ser jovem, ingênuo e irremediavelmente apaixonado e pensar que o amor resolveria tudo.

Como veremos ao longo do restante deste artigo, tudo o que faz um relacionamento “funcionar” (e pelo trabalho, quero dizer que é feliz e sustentável para as duas pessoas envolvidas) requer uma genuína admiração profunda um pelo outro. Sem essa admiração mútua, tudo o mais será desvendado.

A outra razão “errada” para entrar em um relacionamento é, como Greg disse, “consertar” a si mesmo.

Esse desejo de usar o amor de outra pessoa para acalmar seus próprios problemas emocionais inevitavelmente leva à co dependência, uma dinâmica prejudicial e danosa entre duas pessoas, onde elas concordam tacitamente em usar o amor um do outro como uma distração de sua própria auto-aversão. Vamos nos aprofundar mais na co-dependência mais adiante neste artigo, mas, por enquanto, é útil apontar que o amor em si é neutro. É algo que pode ser saudável ou insalubre, útil ou prejudicial, dependendo de por que e como você ama alguém e é amado por outra pessoa. Por si só, o amor nunca é suficiente para sustentar um relacionamento.

  1. Ter expectativas realistas sobre relacionamentos e romance

“Você absolutamente não vai ser absolutamente gaga um sobre o outro a cada dia para o resto de suas vidas, e toda essa besteira ‘felizes para sempre’ é apenas colocar as pessoas para o fracasso. Eles entram em relacionamentos com essas expectativas irrealistas. Então, no instante em que eles percebem que não são mais ‘gaga’, eles acham que o relacionamento está quebrado e eles precisam sair. 

Não! Haverá dias, ou semanas, ou talvez até mais, quando vocês não forem todos apaixonados pelo amor. Você vai mesmo acordar de manhã e pensar: “Ugh, você ainda está aqui…” Isso é normal! E o mais importante, vale a pena, porque isso também vai mudar. Em um dia, ou uma semana, ou talvez até mais, você vai olhar para essa pessoa e uma onda gigante de amor irá inundá-lo, e você os amará tanto que acha que seu coração não pode aguentar e vai explodir. 

Porque um amor que está vivo também está em constante evolução. Ele se expande e contrai, suaviza e aprofunda. Não vai ser do jeito que costumava ser, ou do jeito que será, e não deveria ser. Eu acho que se mais casais entendessem isso, eles estariam menos inclinados a entrar em pânico e correr para se separar ou se divorciar .”

– Paula

O amor é uma coisa engraçada. Nos tempos antigos, as pessoas genuinamente consideravam o amor uma doença. Os pais alertaram seus filhos contra isso, e os adultos rapidamente arranjaram casamentos antes que seus filhos tivessem idade suficiente para fazer algo estúpido em nome de suas emoções.

Isso porque o amor, enquanto nos faz sentir tontos e altos como se tivéssemos bufado uma caixa de sapatos cheia de cocaína, nos torna altamente irracionais. Nós todos sabemos que o cara (ou garota) que abandonou a escola, vendeu seu carro e gastou o dinheiro para fugir nas praias do Taiti. Nós todos também sabemos que aquele cara (ou garota) acabou voltando atrás alguns anos depois, sentindo-se um idiota, para não mencionar que quebrou.

Isso é amor desenfreado. É a maneira da natureza de nos enganar fazendo coisas insanas e irracionais para procriar com outra pessoa – provavelmente porque se parássemos para pensar sobre as repercussões de ter filhos e estar com a mesma pessoa para todo o sempre, ninguém jamais faria isso. Como Robin Williams costumava brincar, “Deus deu ao homem um cérebro e um pênis e apenas sangue suficiente para operar um de cada vez”.

O amor romântico é uma armadilha destinada a fazer com que duas pessoas negligenciem os defeitos um do outro o tempo suficiente para fazer um ato de babymaking. Geralmente dura apenas alguns anos no máximo. Que estonteante você fica encarando os olhos do seu amante como se eles fossem as estrelas que compõem os céus – sim, isso na maior parte vai embora. Isso acontece para todos. Então, uma vez que ele se foi, você precisa saber que você se prendeu a um ser humano que você genuinamente respeita e gosta de estar com ele, do contrário as coisas ficarão rochosas.

O amor verdadeiro – isto é, um amor profundo e duradouro, que é impermeável a caprichos ou fantasias emocionais – é uma escolha. É um compromisso constante com uma pessoa, independentemente das circunstâncias atuais. É um compromisso com uma pessoa que você entende que não vai sempre fazer você feliz – nem deveria! – e uma pessoa que precisa confiar em você às vezes, assim como você confia nela.

Essa forma de amor é muito mais difícil. Principalmente porque muitas vezes não parece muito bom. Não é glamourosa. São muitas visitas de médicos pela manhã. Está limpando fluidos corporais que você preferiria não estar limpando. É lidar com inseguranças e medos e ideias de outra pessoa, mesmo quando você não quer.

Mas essa forma de amor também é muito mais satisfatória e significativa. E, no final do dia, traz verdadeira felicidade.

“Happily Ever After não existe. Todos os dias você acorda e decide amar seu parceiro e sua vida – o bom, o ruim e o feio. Alguns dias é uma luta e em alguns dias você se sente a pessoa mais sortuda do mundo ”. 

– Tara

Muitas pessoas nunca aprendem como romper esse amor profundo e incondicional. Muitas pessoas, ao contrário, são viciadas nos altos e baixos do amor romântico. Eles estão nele para as sensações, por assim dizer.

Muitas pessoas entram em um relacionamento como forma de compensar algo que lhes falta ou odeiam. Este é um bilhete de mão única para um relacionamento tóxico, porque torna seu amor condicional – você amará seu parceiro desde que o ajude a se sentir melhor consigo mesmo. Você vai dar a eles , desde que eles te deem. Você os fará felizes contanto que eles te façam feliz.

Essa condicionalidade impede que qualquer intimidade verdadeira e profunda surja e acorrenta a relação com os espasmos agudos dos dramas internos de cada pessoa.

  1. O fator mais importante em um relacionamento não é comunicação, mas respeito

“O que eu posso dizer é a primeira coisa, mais importante acima de tudo é respeito. Não é atração sexual, aparência, objetivos compartilhados, religião ou falta, nem amor. Há momentos em que você não sentirá amor pelo seu parceiro. Essa é a verdade. Mas você nunca quer perder o respeito pelo seu parceiro. Uma vez que você perder o respeito, nunca conseguirá recuperá-lo ”.

– Laurie

Enquanto examinávamos as centenas de respostas que recebíamos, minha assistente e eu começamos a notar uma tendência interessante.

As pessoas que tinham passado por divórcios e / ou só estavam com seus parceiros por 10-15 anos quase sempre falavam sobre comunicação sendo a parte mais importante de fazer as coisas funcionarem. Fale com freqüência. Fale abertamente. Fale sobre tudo, mesmo que doa. E há algum mérito nisso (o qual eu vou chegar mais tarde).

Mas notamos que a coisa com que as pessoas com casamentos em 20, 30 ou mesmo 40 anos falavam mais era respeito.

Minha percepção é de que essas pessoas, por meio de grande quantidade de experiência, aprenderam que a comunicação, por mais aberta, transparente e disciplinada, sempre se desintegrará em algum momento. Os conflitos são inevitáveis ​​e os sentimentos sempre serão feridos.

E a única coisa que pode salvar você e seu parceiro, que pode amortecer você tanto para o pouso forçado da falibilidade humana, é um respeito infalível um pelo outro, o fato de você ter um ao outro em alta estima, acreditar um no outro – muitas vezes mais do que cada um acredita em si mesmo – e confia que o seu parceiro está fazendo o seu melhor com o que tem.

Sem essa base de respeito debaixo de você, você duvidará das intenções um do outro. Você julgará suas escolhas e invadirá sua independência. Você sentirá a necessidade de esconder as coisas umas das outras por medo de críticas. E isso é quando as rachaduras no edifício começam a aparecer.

“Meu marido e eu estamos juntos há 15 anos. Neste inverno, eu pensei muito sobre o que parece estar nos mantendo juntos, enquanto casamentos em torno de nós desmoronam (sério, está em toda parte … parece que estamos nessa idade). A única palavra que eu continuo voltando é “respeito”. Claro, isso significa mostrar respeito, mas isso é muito superficial. Apenas mostrando isso não é suficiente. Você tem que sentir isso profundamente dentro de você. Eu profundamente e genuinamente o respeito por sua ética de trabalho, sua paciência, sua criatividade, sua inteligência e seus valores fundamentais. 

“Deste respeito vem todo o resto – confiança, paciência, perseverança (porque às vezes a vida é realmente difícil e você só precisa perseverar). Eu quero ouvir o que ele tem a dizer (mesmo que eu não concorde com ele) porque eu respeito a opinião dele. Eu quero permitir que ele tenha algum tempo livre dentro de nossas vidas insanamente ocupadas, porque eu respeito suas escolhas de como ele gasta seu tempo e com quem ele passa o tempo. E, realmente, o que esse respeito mútuo significa é que nos sentimos seguros compartilhando nossos eus mais profundos e íntimos um com o outro ”.

– Nicole

Você também deve respeitar a si mesmo. Assim como seu parceiro também deve respeitar a si mesmo. Porque sem esse auto-respeito, você não se sentirá digno do respeito proporcionado por seu parceiro. Você não estará disposto a aceitá-lo e encontrará maneiras de enfraquecê-lo. Você vai sentir constantemente a necessidade de compensar e provar-se digno de amor, que só vai sair pela culatra.

Respeito pelo seu parceiro e respeito por si mesmo estão interligados. Como um leitor chamado Olov disse: “Respeite a si e a sua esposa. Nunca fale mal com ela. Se você não respeita sua esposa, você não se respeita. Você a escolheu – faça jus a essa escolha.

Então, o que diz respeito parecido ?

Exemplos comuns dados por muitos leitores:

  • NUNCA fale sobre seu parceiro ou reclame sobre eles para seus amigos. Se você tiver um problema com o seu parceiro, você deve ter essa conversa com eles, não com seus amigos. Falar mal sobre eles irá corroer o seu respeito por eles e fazer você se sentir pior sobre estar com eles, não melhor.
  • Respeite que eles têm diferentes hobbies, interesses e perspectivas de você. Só porque você gastaria seu tempo e energia de maneira diferente, não significa que é melhor / pior.
  • Respeite que eles têm uma voz igual no relacionamento, que você é uma equipe e, se uma pessoa da equipe não estiver feliz, a equipe não está tendo sucesso.
  • Sem segredos. Se você está realmente nisso e se respeita, tudo deve ser um jogo justo. Tem uma queda por outra pessoa? Discuta isso. Ria disso. Teve uma fantasia sexual estranha que soa ridícula? Seja aberto sobre isso. Nada deve estar fora dos limites.

O respeito anda de mãos dadas com a confiança. E a confiança é a alma de qualquer relacionamento (romântico ou não). Sem confiança, não pode haver intimidade ou conforto. Sem confiança, seu parceiro se tornará uma responsabilidade em sua mente, algo a ser evitado e analisado, não uma base protetora para seu coração e sua mente.

  1. Fale abertamente sobre tudo, especialmente as coisas que machucam

“Nós sempre falamos sobre o que nos incomoda, ninguém mais! Nós temos muitos amigos que estão em casamentos que não estão funcionando bem e eles me dizem tudo sobre o que está errado. Eu não posso ajudá-los, eles precisam estar conversando com seu cônjuge sobre isso, essa é a única pessoa que pode ajudá-los a descobrir isso. Se você puder descobrir uma maneira de poder sempre conversar com seu cônjuge sobre o que está incomodando você, então você pode trabalhar no assunto. ”

– Ronnie

 

“Não pode haver segredos. Segredos dividem você. Sempre.”

– Tracey

Eu recebo centenas de e-mails de leitores a cada semana  pedindo conselhos de vida. Uma grande porcentagem desses e-mails envolve seus relacionamentos românticos em dificuldades.

(Esses e-mails também são surpreendentemente repetitivos).

Há alguns anos, descobri que respondia a grande maioria desses e-mails de relacionamento com a mesma resposta.

“Pegue este e-mail que acabou de enviar para mim, imprima e mostre para o seu parceiro. Depois volte e pergunte novamente.

Esta resposta tornou-se tão comum que eu realmente a coloquei no meu formulário de contato no site porque eu estava tão cansado de copiá-la e colá-la.

Se algo te incomoda no relacionamento, você deve estar disposto a dizê-lo. Dizendo que constrói confiança e confiança cria intimidade. Pode doer, mas você ainda precisa fazer isso. Ninguém mais pode consertar seu relacionamento para você. Assim como causar dor a seus músculos permite que eles voltem a crescer mais fortes, muitas vezes introduzir alguma dor em seu relacionamento através da vulnerabilidade é a única maneira de tornar o relacionamento mais forte.

Por trás do respeito, a confiança era o traço mais comumente mencionado para um relacionamento saudável. A maioria das pessoas mencionou isso no contexto de ciúme e fidelidade  – confie em seu parceiro para sair por conta própria, não fique inseguro ou irritado se você os ver conversando com outra pessoa, etc.

Mas a confiança é muito mais profunda do que isso. Porque quando você está realmente falando sobre o longo curso, você começa a entrar em uma merda séria de vida ou morte. Se você acabasse com câncer amanhã, você confiaria em seu parceiro para ficar com você e cuidar de você? Você confiaria em seu parceiro para cuidar de seu filho por uma semana sozinho? Você confia neles para lidar com seu dinheiro ou tomar decisões sensatas sob pressão? Você confia neles para não se voltar contra você ou culpá-lo quando cometer erros?

Essas são coisas difíceis de fazer. E são ainda mais difíceis de pensar no início de um relacionamento. Confiança no início de um relacionamento é fácil. É como “Ah, esqueci meu celular no apartamento dela, confio nela para não vendê-lo e comprar crack com o dinheiro … eu acho”.

Mas quanto mais profundo o compromisso, mais interligadas se tornam suas vidas, e mais você terá que confiar em seu parceiro para agir em seu interesse em sua ausência.

Há uma velha canção do Ben Folds em que ele canta: “Parece-me que se você não pode confiar, não é confiável”. A desconfiança tem uma tendência a gerar desconfiança. Se o seu parceiro está sempre bisbilhotando suas coisas, acusando-o de fazer coisas que você não fez, e questionando todas as suas decisões, naturalmente, você começará a questionar suas intenções também – Por que ela é tão insegura? E se ela está escondendo alguma coisa?

A chave para promover e manter a confiança no relacionamento é que ambos os parceiros sejam completamente transparentes e vulneráveis:

  • Se algo está incomodando você, diga alguma coisa. Isso é importante não apenas para abordar os problemas à medida que eles surgem, mas prova para o seu parceiro que você não tem nada a esconder.
  • Essas coisas nojentas e inseguras que você odeia compartilhar com as pessoas? Compartilhe com seu parceiro. Não só é cura, mas você e seu parceiro precisam ter uma boa compreensão das inseguranças uns dos outros e da maneira que cada um escolhe para compensá-los.
  • Faça promessas e depois cumpra-as. A única maneira de realmente reconstruir a confiança depois de ser quebrada é através de um histórico comprovado ao longo do tempo. Você não pode construir esse histórico até que você tenha cometido erros anteriores e resolvido corrigi-los.
  • Aprenda a discernir o comportamento obscuro de seu parceiro a partir de suas próprias inseguranças (e vice-versa). Isso é difícil e provavelmente exigirá que o confronto chegue ao fim. Mas na maioria das lutas de relacionamento, uma pessoa pensa que algo é completamente “normal” e a outra acha que é realmente uma “fodida”. Geralmente é extremamente difícil distinguir quem está sendo irracional e inseguro e quem está sendo razoável e apenas se levantando. para eles mesmos. Seja paciente em erradicar o que é o que, e quando é a sua grande insegurança (e às vezes será, confie em mim), seja honesto sobre isso. Admitir isso. E esforce-se para ser melhor.

A confiança é como um prato de porcelana. Se você soltar e quebrar, você pode colocá-lo de volta com muito trabalho e cuidado. Se você soltá-lo e quebrá-lo pela segunda vez, ele será dividido em duas vezes mais peças e será necessário muito mais tempo e cuidado para voltar a montá-lo. Mas abandone e quebre-o o suficiente, e ele se estilhaçará em tantas peças que você nunca conseguirá colocá-lo de volta novamente, não importa o que você faça.

  1. Um relacionamento saudável significa dois indivíduos saudáveis

“Entenda que cabe a você se tornar feliz, não é o trabalho do seu cônjuge. Eu não estou dizendo que você não deve fazer coisas boas um pelo outro, ou que seu parceiro não pode te fazer feliz às vezes. Só estou dizendo que não coloque expectativas em seu parceiro para “fazer você feliz”. Não é responsabilidade deles. Descobrir como indivíduos o que faz você feliz como um indivíduo, ser feliz mesmo, então cada um traz isso para o relacionamento ”.

– Mandy

Muito se faz sobre “sacrifícios” em um relacionamento. Você deve manter o relacionamento feliz, sacrificando-se consistentemente por seu parceiro, seus desejos e necessidades.

Há alguma verdade nisso. Todo relacionamento exige que cada pessoa escolha conscientemente dar algo às vezes.

Mas o problema é quando toda a felicidade do relacionamento é contingente à outra pessoa e ambas as pessoas estão em constante estado de sacrifício. Apenas leia isso de novo. Isso parece horrível. Isso me lembra de uma velha canção do Marilyn Manson:

“Atire em mim mesmo para amar você; se eu me amasse, estaria atirando em você ”.

Um relacionamento baseado em sacrifícios não pode ser sustentado, e acabará por se tornar prejudicial para ambos os indivíduos nele.

“Relacionamentos de merda e codependentes têm uma estabilidade inerente porque vocês estão ambos presos em uma barganha implícita para tolerar o mau comportamento da outra pessoa porque estão tolerando a sua, e nenhum de vocês quer ficar sozinho. Na superfície, parece “comprometer os relacionamentos porque é isso que as pessoas fazem”, mas a realidade é que os ressentimentos se acumulam, e ambas as partes tornam-se refém emocional da outra pessoa contra ter que enfrentar e lidar com suas próprias besteiras (isso me levou 14 anos para perceber isso)”.

– Karen

Um relacionamento saudável e feliz requer dois indivíduos saudáveis e felizes. Palavra chave aqui: “indivíduos”. Isso significa duas pessoas com suas próprias identidades, seus próprios interesses e perspectivas, e as coisas que elas fazem sozinhas, em seu próprio tempo.

É por isso que tentar controlar seu parceiro (ou submeter o controle sobre si mesmo ao seu parceiro) para torná-lo “feliz” acaba por sair pela culatra – permite que as identidades individuais de cada pessoa sejam destruídas, as mesmas identidades que atraíram cada pessoa e as uniram em primeiro lugar.

“Não tente mudá-las. Essa é a pessoa que você escolheu. Eles eram bons o suficiente para se casar, então não espere que eles mudem agora. ”

– Allison

 

“Nunca desista de quem você é para a pessoa com quem você está. Isso só vai sair pela culatra e tornar ambos infelizes. Tenha a coragem de ser quem você é e, mais importante, deixe que seu parceiro seja quem eles são. Essas são as duas pessoas que se apaixonaram uma pela outra em primeiro lugar ”.

– Dave

Mas como se faz isso? Bem, é um pouco contraditório. Mas é algo que centenas e centenas de casais de sucesso ecoam em seus e-mails…

  1. Dê um ao outro espaço

“Tenha certeza que você tem uma vida própria, caso contrário, é mais difícil ter uma vida juntos. O que eu quero dizer? Tenha seus próprios interesses, seus próprios amigos, sua própria rede de apoio e seus próprios hobbies. Sobreponha onde você pode, mas não sendo idêntico deve dar-lhe algo para falar e expor um ao outro. Isso ajuda a expandir seus horizontes como um casal, mas não é tão entediante quanto viver a mesma vida. ”

– anônimo

Entre os e-mails, um dos temas mais populares foi a importância de criar espaço e separação entre si.

As pessoas cantavam louvores em contas-correntes separadas, cartões de crédito separados, tendo amigos e hobbies diferentes, tirando férias separadas um do outro a cada ano (isso tem sido grande no meu próprio relacionamento). Alguns até chegaram a recomendar banheiros separados ou até quartos separados.

Algumas pessoas têm medo de dar liberdade e independência ao parceiro. Isso vem da falta de confiança e / ou insegurança de que, se dermos muito espaço ao nosso parceiro, eles descobrirão que não querem mais estar conosco. Geralmente, quanto mais desconfortáveis ​​estamos com nossa própria dignidade no relacionamento e para sermos amados, mais tentamos controlar o relacionamento e os comportamentos de nossos parceiros.

Mas, mais importante, essa incapacidade de deixar que nossos parceiros sejam quem eles são , é uma forma sutil de desrespeito. Afinal, se você não pode confiar em seu marido para ter uma viagem de golfe simples com seus amigos, ou você está com medo de deixar sua esposa sair para beber depois do trabalho, o que isso diz sobre o seu respeito por sua capacidade de lidar com eles mesmos? bem? O que isso diz pelo seu respeito por si mesmo ? Quero dizer, afinal, se você acredita que um par de bebidas depois do trabalho é suficiente para afastar sua namorada de você, você claramente não pensa muito bem em si mesma.

“Faz dezessete anos. Se você ama o seu parceiro o suficiente, você vai deixá-lo ser quem ele é, você não é dono deles, com quem eles ficam, o que eles fazem ou como se sentem. Me deixa louca quando vejo mulheres não deixando seus maridos sair com os caras ou estão com ciúmes de outras mulheres. ”

– Natalie

  1. Você e seu parceiro crescerão e mudarão de formas inesperadas; Abrace-o

“Ao longo de 20 anos, ambos mudamos tremendamente. Nós mudamos fé, partidos políticos, numerosas cores e estilos de cabelo, mas nos amamos e possivelmente até mais. Nossos filhos crescidos sempre dizem aos seus amigos que românticos sem esperança somos. E a maior coisa que nos mantém fortes é não dar a mínima para o que os outros dizem sobre nosso relacionamento. ”

– Dotti

Um tema que surgiu repetidamente, especialmente com os casados ​​com mais de 20 anos, foi o quanto cada indivíduo muda à medida que as décadas passam, e quão pronto cada um de vocês tem que estar para abraçar o outro parceiro quando essas mudanças ocorrerem. Uma leitora comentou que em seu casamento, um membro idoso da família lhe disse: “Um dia, daqui a muitos anos, você acordará e sua esposa será uma pessoa diferente, certifique-se de se apaixonar por essa pessoa também”.

Segue-se logicamente que, se há um alicerce de respeito pelos interesses e valores de cada indivíduo que sustentam o relacionamento, e cada indivíduo é incentivado a promover seu próprio crescimento e desenvolvimento, cada pessoa evoluirá, conforme o tempo, de maneiras diferentes e inesperadas. . Cabe então ao casal comunicar-se e certificar-se de que eles estejam consistentemente a) conscientes das mudanças que estão ocorrendo em seu parceiro e b) continuamente aceitando e respeitando essas mudanças à medida que elas ocorrem.

Agora, você provavelmente está lendo isso e pensando: “Claro, Bill gosta de salsicha agora, mas em alguns anos ele pode preferir carne. Eu posso entrar a bordo com isso.

Não, estou falando de algumas mudanças de vida bastante sérias. Lembre-se, se você vai passar décadas juntos, alguma merda realmente pesada vai atingir (e quebrar) o ventilador. Entre as principais mudanças de vida, as pessoas me disseram que seus casamentos passaram (e sobreviveram): mudança de religião, mudança de país, morte de familiares (incluindo crianças), apoio a familiares idosos, mudança de crenças políticas, até mudança de orientação sexual e em alguns casos. identificação de gênero.

Surpreendentemente, esses casais sobreviveram porque o respeito uns pelos outros permitiu que eles se adaptassem e permitissem que cada pessoa continuasse a florescer e crescer.

“Quando você se compromete com alguém, você não sabe com quem está se comprometendo. Você sabe quem eles são hoje, mas você não tem ideia de quem será essa pessoa em cinco anos, dez anos e assim por diante. Você tem que estar preparado para o inesperado, e realmente se perguntar se você admira essa pessoa, independentemente dos detalhes superficiais (ou não tão superficiais), porque eu prometo que quase todos eles em algum momento vão mudar ou ir embora” .

– Michael

Mas isso não é fácil, claro. De fato, às vezes, será absolutamente destruidor de almas.

É por isso que você precisa ter certeza de que você e seu parceiro sabem lutar.

  1. Seja bom em lutar

“O relacionamento é uma coisa viva que respira. Muito parecido com o corpo e os músculos, não pode ficar mais forte sem estresse e desafio. Você tem que lutar. Você tem que espalhar coisas. Obstáculos fazem o casamento”.

Ryan Saplan

John Gottman é um psicólogo e pesquisador de merda que passou mais de 30 anos analisando casais e procurando as chaves para o porquê de se unirem e por que se separam. É provável que, se você já leu algum artigo sobre aconselhamento relacionado, tenha sido direta ou indiretamente exposto ao trabalho dele. Quando se trata de “por que as pessoas ficam juntas?”.  Ele domina o campo.

O que Gottman faz é que ele recebe casais em uma sala, coloca algumas câmeras neles, e então ele pede para eles brigarem.

Aviso: ele não pede para eles falarem sobre quão grande é a outra pessoa. Ele não pergunta o que mais gosta no relacionamento deles.

Ele lhes pede para lutar. Escolha algo com o qual eles estão tendo problemas e fale sobre isso para a câmera.

E, simplesmente analisando o filme para a discussão do casal (ou jogo de tiro, o que quer que seja), ele consegue prever com precisão surpreendente se um casal vai se divorciar ou não.

Mas o que é mais interessante sobre a pesquisa de Gottman é que as coisas que levam ao divórcio não são necessariamente o que você pensa. Casais bem sucedidos, como casais mal sucedidos, ele descobriu, lutam consistentemente. E alguns deles lutam furiosamente.

Ele conseguiu diminuir quatro características de um casal que tendem a gerar divórcios (ou separações). Ele prosseguiu e chamou esses “os quatro cavaleiros” do apocalipse de relacionamento em seus livros. Eles são:

  1. Criticar o personagem do seu parceiro (“Você é tão estúpido” vs “Aquilo que você fez foi idiota”)
  2. Defensividade (ou basicamente, a culpa muda, “Eu não teria feito isso se você não estivesse atrasado o tempo todo”.)
  3. Desprezo (derrubar seu parceiro e fazê-lo se sentir inferior.)
  4. Stonewalling (retirar-se de uma discussão e ignorar seu parceiro.)

O leitor também envia um e-mail de volta. Dos 1.500 e-mails estranhos, quase todos referiram a importância de lidar bem com os conflitos .

Conselhos fornecidos pelos leitores incluídos:

  • Nunca insulte ou chame seu parceiro. Dito de outra forma: odeie o pecado, ame o pecador. A pesquisa de Gottman descobriu que o “desprezo” – depreciar e humilhar o seu parceiro – é o indicador número um do divórcio.
  • Não traga lutas / argumentos anteriores para os atuais. Isso não resolve nada e apenas torna a luta duas vezes pior do que antes. Sim, você esqueceu de pegar mantimentos no caminho de casa, mas o que ele está sendo rude com sua mãe no último Dia de Ação de Graças tem a ver com alguma coisa?
  • Se as coisas ficarem muito aquecidas, faça uma pausa. Retire-se da situação e volte assim que as emoções esfriarem um pouco. Este é um grande problema para mim, pessoalmente, às vezes, quando as coisas ficam intensas com a minha esposa, fico sobrecarregado e só saio por um tempo. Eu costumo andar em torno do bloco 2-3 vezes e deixe-me ver por cerca de 15 minutos. Depois volto e estamos um pouco mais calmos e podemos retomar a discussão com um tom muito mais conciliatório.
  • Lembre-se de que estar “certo” não é tão importante quanto as pessoas se sentirem respeitadas e ouvidas. Você pode estar certo, mas se você está certo de tal maneira que faz o seu parceiro sentir-se mal amado, então não há nenhum vencedor real.

Mas tudo isso pressupõe outro ponto importante: estar disposto a lutar em primeiro lugar.

Eu acho que quando as pessoas falam sobre a necessidade de “boa comunicação” o tempo todo (um conselho vago que todo mundo diz, mas poucas pessoas parecem realmente esclarecer o que isso significa), é isso que elas querem dizer: estar disposta a falar sobre o incômodo. Esteja disposto a ter as lutas. Diga as coisas feias e mostre tudo ao ar livre.

Este foi um tema constante dos leitores divorciados. Dezenas (centenas?) Deles tinham mais ou menos a mesma história triste para contar:

“Mas não tem jeito na Terra Verde de Deus, isso é culpa dela sozinha. Houve momentos em que vi enormes bandeiras vermelhas. Em vez de tentar descobrir o que o mundo estava errado, eu simplesmente segui em frente. Eu compraria mais flores, ou doces, ou faria mais tarefas em casa. Eu era um marido “bom” em todos os sentidos da palavra. Mas o que eu não estava fazendo era prestar atenção às coisas certas. Ela não estava me dizendo que não havia problema, mas sim. E em vez de dizer alguma coisa, ignorei todos os sinais.

– Jim

  1. Seja bom em perdoar

“Quando você acaba tendo razão sobre alguma coisa – cale a boca. Você pode estar certo e ficar quieto ao mesmo tempo. Seu parceiro já saberá que você está certo e se sentirá amado sabendo que você não o usou como uma espada bastarda. ”

– Brian

 

“No casamento, não há como ganhar uma discussão.”

– Conta

Para mim, talvez a pepita mais interessante da pesquisa de Gottman seja o fato de que os casais mais bem sucedidos não resolvem realmente todos os seus problemas. Na verdade, suas descobertas foram completamente retrógradas do que a maioria das pessoas realmente esperam: pessoas em relacionamentos duradouros e felizes têm problemas que nunca desaparecem completamente, enquanto casais que sentem que precisam concordar e se comprometer com tudo acabam se sentindo miseráveis ​​e desmoronando. .

Para mim, como tudo mais, isso volta ao respeito. Se você tem dois indivíduos diferentes compartilhando uma vida juntos, é inevitável que eles tenham valores e perspectivas diferentes em algumas coisas e entrem em conflito. A chave aqui não é mudar a outra pessoa – como o desejo de mudar seu parceiro é inerentemente desrespeitoso (para ambos e para si mesmo) – mas é simplesmente respeitar a diferença, amá-los apesar disso, e quando as coisas ficam um pouco difíceis em torno das bordas, para perdoá-los por isso.

“Todo mundo diz que o compromisso é fundamental, mas não é assim que meu marido e eu vemos isso. É mais sobre buscar compreensão. Compromisso é besteira, porque deixa ambos os lados insatisfeitos, perdendo pequenos pedaços de si mesmos em um esforço para se dar bem. 

Por outro lado, recusar-se a comprometer é um desastre, porque você transforma seu parceiro em um concorrente (“eu ganho, você perde”). Esses são os objetivos errados, porque são baseados em resultados e não em processos. Quando seu objetivo é descobrir de onde seu parceiro está vindo – para realmente entender em um nível profundo – você não pode deixar de ser alterado pelo processo. Conflito se torna muito mais fácil de navegar, porque você vê mais do contexto. ”

– Michelle

Eu escrevi durante anos que a chave para a felicidade não é alcançar seus sonhos elevados, mas sim encontrar as lutas e desafios que você gosta de suportar.

Um conceito semelhante parece ser verdadeiro nos relacionamentos: seu parceiro perfeito não é alguém que não cria problemas no relacionamento, e sim seu parceiro perfeito é alguém que cria problemas no relacionamento com o qual você se sente bem em lidar.

Mas como você fica em perdoar? O que isso realmente significa? Mais uma vez, alguns conselhos dos leitores:

  • Quando uma discussão termina, acabou. Alguns casais chegaram a fazer disso a regra de ouro em seu relacionamento. Quando você termina de lutar, não importa quem estava certo e quem estava errado, não importa se alguém era mau e alguém era legal. Acabou. Está no passado. E vocês dois concordam em deixá-lo lá, não levantá-lo todos os meses pelos próximos três anos.
  • Não há placar. Ninguém está tentando “vencer” aqui. Não há, “Você me deve isso porque você estragou a roupa na semana passada.” Não, “sempre estou certo sobre coisas financeiras, então você deveria me ouvir.” Não, “eu comprei três presentes para ela e ela só me fez um favor. ”Tudo no relacionamento é dado e feito incondicionalmente – isto é: sem expectativa ou manipulação.
  • Quando seu parceiro estraga, você separa as intenções do comportamento. Você reconhece as coisas que ama e admira em seu parceiro e entende que ele estava simplesmente fazendo o melhor que podia, ainda que confuso por ignorância. Não porque eles são uma pessoa ruim. Não porque eles secretamente te odeiam e querem se divorciar de você. Não porque haja alguém no fundo puxando-os para longe de você. Eles são uma boa pessoa. É por isso que você está com eles. Se você perder sua fé nisso, começará a corroer sua fé em si mesmo.

E finalmente, escolha suas batalhas com sabedoria. Você e seu parceiro só têm várias merdas para dar, certifique-se de que ambos estão salvando-os para as coisas reais que importam.

“Fui feliz casado há mais de 40 anos. Um conselho que vem à mente: escolha suas batalhas. Algumas coisas importam, vale a pena ficar chateado. A maioria não. Discuta sobre as pequenas coisas e você se encontrará argumentando sem parar; pequenas coisas surgem o dia inteiro, leva um pedágio ao longo do tempo. Como a tortura da água chinesa: menor a curto prazo, corrosiva ao longo do tempo. Considere: isso é uma coisa pequena ou grande? Vale a pena o custo de discutir?”

– Fred

  1. As pequenas coisas se somam a grandes coisas

“Se você não tiver tempo para se encontrar para o almoço, sair para um passeio ou sair para jantar e fazer um filme com alguma regularidade, então basicamente você acaba com um colega de quarto. Permanecer conectado durante os altos e baixos da vida é fundamental. Eventualmente seus filhos crescem, seu cunhado desagradável se juntará a um mosteiro e seus pais morrerão. Quando isso acontecer, adivinhe quem ficou? Você entendeu … Sr. / Sra. Certo! Você não quer acordar 20 anos depois e ficar olhando para um estranho porque a vida quebrou os laços que você formou antes do início da tempestade. Você e seu parceiro precisam ser o olho do furacão.”

– Brian

Das 1.500 respostas que recebi, eu diria que cerca de ½ delas mencionaram em algum ponto ou outro conselho simples, mas eficaz: Nunca parem de fazer as pequenas coisas. Eles somam.

Coisas tão simples como dizer “eu te amo”, antes de ir para a cama, de mãos dadas durante um filme, fazendo pequenos favores aqui e ali, ajudando em algumas tarefas domésticas. Mesmo limpando quando você acidentalmente fizer xixi no assento do vaso sanitário (a sério, alguém disse que) – essas coisas todos importam e somam a longo prazo.

Da mesma forma que Fred, casado há mais de 40 anos, afirmou acima que discutir sobre pequenas coisas consistentemente desgasta os dois, “como a tortura chinesa pela água”, assim como os pequenos favores e demonstrações de afeto se somam. Não os perca.

Isso parece se tornar particularmente importante quando as crianças entram em cena. A grande mensagem que ouvi centenas de vezes sobre crianças: coloque o casamento em primeiro lugar.

“As crianças são adoradas em nossa cultura nos dias de hoje. Os pais devem sacrificar tudo por eles. Mas a melhor maneira de criar filhos saudáveis ​​e felizes é manter um casamento saudável e feliz. Boas crianças não fazem um bom casamento. Um bom casamento faz bons filhos. Portanto, mantenha seu casamento como prioridade máxima. ” 

– Susan

Leitores imploravam para manter “noites de encontro” regulares, planejar saídas de fim de semana e fazer tempo para sexo, mesmo quando você está cansado, mesmo quando está estressado e exausto e o bebê está chorando, mesmo quando júnior pratica futebol aos 5 anos. : 30h do dia seguinte. Arranje tempo para isso. Vale a pena.

Ah, e falando de sexo …

  1. Assuntos sexuais… muito.

“E você sabe como você sabe se você está escorregando? Sexo começa a deslizar. Período. Nenhum outro teste é necessário.” 

– anônimo

Ainda me lembro de volta na faculdade, foi um dos meus primeiros relacionamentos com uma ruivinha fofa. Nós éramos jovens, ingênuos e loucos um pelo outro. E, como vivíamos no mesmo dormitório, estávamos batendo como coelhos.

Era tudo que um homem de 19 anos poderia pedir.

Então, depois de um mês ou dois, chegamos ao nosso primeiro “momento difícil” no relacionamento. Nós brigamos com mais frequência, nos acostumamos a ficar incomodados um com o outro, e de repente nosso hábito de múltiplos tempos por dia secou magicamente. E não foi só com ela, mas comigo. Para a minha mente adolescente, era realmente possível ter sexo disponível para você, mas não quero isso.

Era quase como se o sexo estivesse ligado às emoções. Para um estúpido de 19 anos, isso foi um completo choque.

Essa foi a primeira vez que descobri uma verdade sobre relacionamentos: o sexo é o Estado da União. Se o relacionamento for bom, o sexo será bom. Vocês dois estarão querendo e aproveitando. Quando o relacionamento é ruim – quando há problemas não resolvidos e emoções negativas não resolvidas – então o sexo muitas vezes é a primeira coisa a sair pela janela.

Isso foi reiterado para mim centenas de vezes nos e-mails. A natureza do sexo em si variava bastante entre casais – alguns casais levam a sério a experimentação sexual, outros são fiéis na frequência, outros se metem em fantasias – mas o princípio subjacente era o mesmo em todos os lugares: ambos deveriam ser sexualmente satisfeitos que possível.

Mas o sexo não só mantém o relacionamento saudável, muitos leitores sugeriram que eles o utilizassem para curar seus relacionamentos. Que quando as coisas são um pouco frígidas entre eles ou que eles têm alguns problemas, muito estresse ou outros problemas (ou seja, crianças), eles chegam a agendar momentos sensuais para eles mesmos. Eles dizem que é importante. E vale a pena.

Algumas pessoas até disseram que quando as coisas começam a parecer obsoletas no relacionamento, elas concordam em fazer sexo todos os dias durante uma semana. Então, como que por mágica, na próxima semana, eles se sentirão bem novamente.

  1. Seja prático e crie regras de relacionamento

“Não há limpeza de 50/50, criação de crianças, planejamento de férias, esvaziamento de lava-louças, compra de presentes, jantares, dinheiro, etc. Quanto mais cedo todos aceitarem isso, mais felizes todos estarão. Todos nós temos coisas que gostamos de fazer e odiamos fazer; Todos nós temos coisas em que somos bons e não tão bons. Converse com seu parceiro sobre essas coisas quando se trata de dividir e conquistar toda a porcaria que tem que ser feita na vida. ”

– Liz

Todo mundo tem uma imagem em sua mente de como um relacionamento deve funcionar. Ambas as pessoas compartilham responsabilidades. Ambas as pessoas conseguem equilibrar seu tempo com o tempo para si mesmas. Ambos buscam interesses envolventes e estimulantes por conta própria e compartilham os benefícios juntos. Ambos se revezam limpando o banheiro e soprando um ao outro e cozinhando lasanha gourmet para a família em Ação de Graças (embora nem todos ao mesmo tempo).

Como os relacionamentos realmente funcionam.

Bagunçado. Estressante. Falta de comunicação voando em todos os lugares para que vocês dois sintam como se estivessem em um estado perpétuo de falar com uma parede.

O fato é que os relacionamentos são assuntos imperfeitos e confusos. E é pela simples razão de que eles são compostos de pessoas imperfeitas e bagunçadas – pessoas que querem coisas diferentes em diferentes momentos de maneiras diferentes e, oh, elas se esqueceram de contar para você? Bem, talvez se você estivesse ouvindo, idiota.

O tema comum do conselho aqui foi ser pragmático. Se a mulher é advogada e passa 50 horas no escritório toda semana, e o marido é um artista e pode trabalhar em casa quase todos os dias, faz mais sentido que ele cuide da maior parte das tarefas diárias do pai / mãe. Se o padrão de limpeza da esposa parece um catálogo da Home & Garden , e o marido passou seis meses sem sequer notar a luminária pendurada no teto, então faz sentido que a esposa cuide mais das tarefas de limpeza doméstica.

A divisão de trabalho deixa todo mundo melhor. Descubra em que você é bom, o que cada um de vocês ama / odeia e, em seguida, organize de acordo. Minha esposa ama a limpeza (não, a sério), mas ela odeia coisas fedorentas. Então, adivinhe quem recebe os pratos e o dever do lixo? Eu. Porque eu não dou a mínima. Eu vou comer o mesmo prato sete vezes seguidas. Eu não podia sentir o cheiro de um rato morto, mesmo que estivesse dormindo debaixo do meu travesseiro.

Vou jogar lixo o dia todo.

Aqui querida, deixa eu pegar isso pra você.

Além disso, muitos casais sugeriram estabelecer regras para o relacionamento. Isso parece extravagante, mas no final é prático. Até que ponto você dividirá as finanças? Quanta dívida será paga ou paga? Quanto cada pessoa pode gastar sem consultar o outro? Quais compras devem ser feitas juntas ou você confia umas nas outras para fazer separadamente? Como você decide quais férias continuar?

Faça reuniões sobre essas coisas. Claro, não é sexy ou legal, mas precisa ser feito. Você está compartilhando uma vida juntos e precisa planejar e dar conta das necessidades e recursos de cada pessoa.

Uma pessoa até disse que ela e o marido têm “revisões anuais” todos os anos. Ela imediatamente me disse para não rir, mas ela estava falando sério. Eles têm revisões anuais em que discutem tudo o que acontece na casa, o que gostam e o que não gostam e o que podem fazer no próximo ano para mudá-lo. Esse tipo de coisa soa idiota, mas é o que mantém os casais em contato com o que está acontecendo um com o outro. E como eles sempre têm os dedos no pulso das necessidades um do outro, é mais provável que cresçam juntos, em vez de ficarem separados.

  1. Aprenda a andar pelas ondas

“Sou casado há 44 anos (4 filhos, 6 netos). Acho que a coisa mais importante que aprendi nesses anos é que o amor que vocês sentem um pelo outro está mudando constantemente. Às vezes você sente um profundo amor e satisfação, outras vezes você não quer nada com sua esposa; às vezes você ri junto, às vezes você está gritando um com o outro. É como uma montanha-russa, subidas e descidas o tempo todo, mas à medida que você fica junto o suficiente, os baixos tornam-se menos severos e os altos são mais amorosos e contentes. Então, mesmo que você sinta que nunca mais amaria seu parceiro, isso pode mudar, se você der uma chance. Eu acho que as pessoas desistem cedo demais. Você precisa ser o tipo de pessoa que deseja que seu cônjuge seja. Quando você faz isso, faz um mundo de diferença .”

– Chris

Das centenas de analogias que vi nas últimas semanas, uma ficou comigo. Uma enfermeira enviou um e-mail dizendo que costumava trabalhar com muitos pacientes geriátricos. E um dia ela estava conversando com um homem no final dos anos 80 sobre casamento e por que ele durou tanto tempo. O homem disse algo como “relacionamentos existem como ondas, as pessoas precisam aprender a montá-los”.

Ao pedir-lhe para explicar, ele disse que, como o oceano, há ondas constantes de emoções acontecendo dentro de um relacionamento, altos e baixos. downs – algumas ondas duram horas, algumas duram meses ou até anos. A chave é entender que poucas dessas ondas têm algo a ver com a qualidade do relacionamento – as pessoas perdem empregos, os membros da família morrem, os casais se mudam, trocam de carreira, ganham muito dinheiro, perdem muito dinheiro. Seu trabalho como parceiro comprometido é simplesmente surfar nas ondas com a pessoa que você ama, independentemente de onde ela for. Porque no final das contas, nenhuma dessas ondas dura. E você simplesmente acaba um com o outro.

“Dois anos atrás, de repente, comecei a me ressentir de minha esposa por várias razões. Eu me senti como se estivéssemos flutuando, fazendo um ótimo trabalho de co-existente e co-parenting, mas não sustentando uma conexão real. Ela se deteriorou a ponto de eu pensar em me separar dela; no entanto, sempre que eu dava a esse assunto uma ideia intensa, não conseguia identificar um único problema que fosse um problema para o negócio. Eu sabia que ela era uma pessoa incrível, mãe e amiga. Mordi muito a língua e esperei que o mal-estar passasse tão de repente quanto havia chegado. Felizmente, aconteceu e eu a amo mais do que nunca. Portanto, a última gota de sabedoria é dar ao seu cônjuge o benefício da dúvida. Se você ficou feliz por um período tão longo, esse é o caso por um bom motivo.”

– Kevin

Eu gostaria de ter um momento para agradecer a todos os leitores que tiveram tempo de escrever algo e enviá-lo para mim. Como sempre, foi humilhante ver toda a sabedoria e experiência de vida lá fora. Houve muitas, muitas, excelentes respostas, com conselhos gentis e sinceros. Foi difícil escolher os que acabaram aqui e, em muitos casos, eu poderia ter colocado uma dúzia de citações diferentes que diziam quase exatamente a mesma coisa.

Exercícios como esse sempre me surpreendem, porque quando você pede a milhares de pessoas conselhos sobre algo, você espera receber milhares de respostas diferentes. Mas em ambos os casos agora, a maioria dos conselhos tem sido em grande parte a mesma. Isso mostra como somos realmente parecidos. E como não importa o quão ruim as coisas possam ficar, nunca estamos tão sozinhos quanto pensamos.

Eu terminaria isso resumindo o conselho em uma seção organizada. Mas mais uma vez, uma leitora chamada Margo fez isso muito melhor do que eu jamais poderia. Então, vamos terminar com Margo:

“Você pode trabalhar com qualquer coisa desde que não esteja se destruindo nem a si mesmo. Isso significa emocional, físico, financeiro ou espiritualmente. 

Não faça nada fora dos limites para discutir. Nunca envergonhe ou zombe um do outro pelas coisas que você faz que te fazem feliz. Anote por que você se apaixonou e leu todos os anos no seu aniversário (ou com mais frequência). Escreva cartas de amor para o outro com freqüência. Faça um ao outro primeiro. Quando as crianças chegarem, será fácil cair no frenesi de torná-las o único foco de sua vida … não esqueça o amor que as produziu. 

Você deve manter esse amor vivo e forte para alimentá-los com amor. Cônjuge vem em primeiro lugar. Cada um de vocês continuará crescendo. Traga o outro com você. Seja o que acolhe esse crescimento. Não pense que o outro irá manter o relacionamento sozinho. Vocês dois devem assumir que depende de vocês, de modo que vocês dois estejam trabalhando nisso. Seja apaixonado por limpar a casa, preparar refeições e cuidar de sua casa. Isso é exigido de todos os dias, torná-lo divertido e feliz e fazê-lo juntos. 

Não reclame sobre o seu parceiro para ninguém. Ame-os por quem eles são. Faça amor mesmo quando você não está de bom humor. Confie um no outro. Dê um ao outro o benefício da dúvida sempre. Seja transparente. Não tenha nada a esconder. Seja orgulhoso um do outro. Tenha uma vida fora do outro, mas compartilhe através da conversa. Mime-se e adore-se. 

Vá para aconselhamento agora antes de precisar, para que você esteja aberto para trabalhar junto no relacionamento. Discorde em relação aos sentimentos do outro. Esteja aberto para mudar e aceitar as diferenças. Imprima e consulte diariamente.”

  

Tradução: Patrícia Avelar

Mark Manson é autor de A Arte Sutil de Não Dar um F * ck: uma abordagem contra-intuitiva para viver uma boa vida .

https://getpocket.com/explore/item/every-successful-relationship-is-successful-for-the-same-exact-reasons

 

 

 

 

Anúncios

Gratidão por sua visita!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: